Ação da polícia de São Paulo na casa de filho de Lula causa indignação
Ação da polícia de São Paulo na casa de filho de Lula causa indignação


Medida abusiva, prática nazista, ato estarrecedor e ação imoral. Estas foram algumas das definições, em tom indignado, de juristas, parlamentares do PT, políticos de outras legendas e profissionais diversos diante do ato da operação de busca e apreensão realizada ontem (10) na casa de um dos filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marcos Lula da Silva, no interior de São Paulo, por suposta acusação de “consumo de drogas e porte de armas”. A operação, conforme confirmaram policiais, foi deflagrada em razão de uma denúncia anônima e nada encontrou na casa de Marcos.
Repercutiu fortemente na capital do país e continua provocando indignação. Um grupo de deputados e senadores exige explicações do governo de São Paulo sobre os critérios utilizados pela Polícia Civil para a realização da ação, qualificada como “mais do que arbitrária”. A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que a operação foi “violência e tem de ser explicada por todas as autoridades envolvidas”.
 “O simples fato de nada de ilícito ter sido encontrado na residência mostra que a medida foi abusiva e sem qualquer fundamento real. A perseguição a Lula e sua família não tem limites. O PT está solidário com Lula, com seu filho, nora e netos. O Brasil precisa enfrentar seriamente os repetidos abusos de autoridade”, destacou a parlamentar.
A deputada Maria do Rosário (PT-RS) disse que o filho do ex-presidente foi usado para atingi-lo, o que é “inadmissível”. Para Paulo Teixeira (PT-SP) o caso é de “abuso de autoridade”. “Estamos num estado de exceção. Fazem com Lula, fazem com os mais pobres e farão com qualquer um”, afirmou.
O líder do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Alencar Santana, divulgou nota na qual afirma que a bancada já vinha alertando a população e a militância sobre a campanha de ódio – alimentada por veículos de imprensa e grupos políticos – contra o ex-presidente Lula, assim como contra seus familiares e contra o Partido dos Trabalhadores.
“Exigimos esclarecimentos do governador Geraldo Alckmin e de seu secretário de Segurança Pública acerca dos motivos de tal operação, de claro caráter político”, destaca. Os deputados exigiram do secretário de Segurança Pública de São Paulo, Mágino Barbosa, respostas rápidas sobre a ação policial de Marcos Lula da Silva. Em reunião ontem, os parlamentares afirmaram que o delegado responsável pela operação agiu com “clara finalidade política” de perseguir Lula e sua família. A alegação de que teria ocorrido denúncia anônima, segundo a comitiva, é insustentável.
“Não havia nada no local que justificasse tal medida. Além disso, o pedido do delegado encaminhado à juíza no pedido de busca e apreensão aponta para dois locais com suspeitas de movimentações estranhas, o endereço residencial antigo e o atual de Marcos Lula, locais distintos e distantes”, diz o líder da bancada, Alencar Santana. “Se a denúncia anônima é sobre um determinado local, por que o pedido de busca foi feito para dois locais?”
Os deputados petistas pediram o imediato afastamento do delegado responsável pela operação e cobram ainda rápido esclarecimento por parte do governador. 

Compartilhar Google+

Comentário(s)

Publicidade

Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1