Em nova pesquisa Vox Populi, Lula segue líder da corrida presidencial
Em nova pesquisa Vox Populi, Lula segue líder da corrida presidencial


Nova pesquisa do instituto Vox Populi encomendada pela CUT volta a mostrar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue liderando – com folga – as intenções de votos para a Presidência da República nas eleições previstas para 2018. Segundo o levantamento, realizado entre 27 e 30 de outubro, Lula aparece com 42% das preferências em uma lista com 10 possíveis concorrentes – havia alcançado 47% na pesquisa anterior. Em segundo lugar volta a figurar o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), agora com 16%, ante 13% do levantamento de julho. Os demais candidatos ficaram abaixo de 8% das intenções.
Segundo a pesquisa, a rejeição a Lula vem caindo e é, atualmente, a menor entre os nomes apresentados: 39% de eleitores que não votariam no ex-presidente. A rejeição a Bolsonaro chega a 60%. Os piores índices de rejeição são para os tucanos João Doria e Geraldo Alckmin, ambos com os mesmos 72% de eleitores que não votariam em nenhum dos dois. O Sudeste é a região que mais rejeita o ex-presidente Lula: 51% dos entrevistados se recusariam a votar nele se as eleições fossem hoje. No Nordeste, o percentual é de apenas 20%.
De acordo com o diretor do instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, a tendência do eleitorado só poderá ser constatada após uma nova pesquisa, já marcada para dezembro.
Ao avaliar os resultados do levantamento, Coimbra lembra que as pesquisas de julho passado foram realizadas ainda sob o impacto da decisão do juiz Sergio Moro de condenar o ex-presidente a 9 anos e meio de prisão pelo caso do apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo, que nunca pertenceu a Lula. “Uma parte expressiva da sociedade considerou exagerada e persecutória a decisão do Moro e essa percepção pode, naquele momento, ter impulsionado o apoio a Lula”, avalia.
Sobre a candidatura de Bolsonaro, o diretor do Vox Populi afirma que, embora seja difícil prever se ela tem ou não um prazo de validade, é possível ver paralelos com o desempenho de Fernando Collor em 1989, fenômeno que atribui principalmente ao PSDB e seus aliados. “Nos últimos 15 anos, a oposição resumiu-se a ser contra Lula e o PT. Não apresentou nenhum agenda ao país, a não ser as privatizações, que podem ser realizada por qualquer um, até pelo Michel Temer. Bolsonaro ocupa este espaço com um discurso mais ‘verossímil’. Ele é o sucessor do PSDB na disputa pelo antipetismo e como símbolo de uma campo reacionário que não tem mais vergonha de se expor.”
Segundo turno
Lula venceria no segundo turno todos os adversários testados na pesquisa. Quando o adversário é o governador Geraldo Alckmin, vence por 50% a 14%. O percentual é semelhante na simulação contra o prefeito João Doria (51% a 14%), Marina Silva (48% a 16%) e Luciano Huck (50% a 14%).

Compartilhar Google+

Comentário(s)

Publicidade

Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1