Geraldo Alckmin anuncia economia de R$ 1 bilhão em despesas de governo
Geraldo Alckmin anuncia economia de R$ 1 bilhão em despesas de governo

 

De acordo com o governador Geraldo Alckmin, medidas de gestão adotadas pela administração pública direta do Estado nos últimos três anos geraram uma economia de aproximadamente R$ 1 bilhão aos cofres públicos. Além da redução de gastos conseguidas até aqui, o Estado projeta economizar mais R$ 57 milhões anuais com a substituição gradual da frota de veículos pela utilização de aplicativos de automóveis, disse Alckmin.
Entre as medidas adotadas em toda a administração pública, anunciadas pelo governador Geraldo Alckmin nesta quarta-feira (27), está a economia de recursos gerada pela melhor utilização de prédios públicos, com a redução de aluguéis de imóveis.
“Nós conseguimos um esforço grande ao fazer um reajuste e reduzir R$ 997 milhões em economia. É praticamente R$ 1 bilhão, sem diminuir serviços nem reduzir investimentos, apenas na área de custeio. O Brasil não tem mais como aumentar impostos. Pelo contrário, deve diminuir a carga tributária à medida que avança. Só existe um caminho, melhorar a eficiência do gasto público, fazer mais e melhor com menos dinheiro”, disse Alckmin.
A revisão dos contratos de aluguel foi umas das medidas adotadas pelo Comitê Gestor criado em 2015 e formado pelas Secretarias de Governo, Fazenda, Planejamento, Procuradoria Geral da Fazenda (PGE) e Casa Civil. Com ela foi possível reduzir as despesas de aluguel em R$ 424 milhões. Mais R$ 17,5 milhões foram poupados com diretrizes que incluíram o afastamento de servidores e redução de viagens internacionais.
Com a suspensão de novos contratos de aluguel de imóveis e melhor aproveitamento de prédios públicos foi possível reduzir em 8,6% o volume de locações e economizar R$ 38 milhões com a extinção de 60 contratos, entre 2016 e 2017, mencionou Alckmin.
O programa estadual Poupatempo, por exemplo, conseguiu economizar R$ 147 milhões, entre 2015 e 2017, com a renegociação de contratos de prestação de serviços e a mudança no modelo de aluguel de prédios.
A alteração do modelo de licitação para contratação de serviços gerou redução de gastos da ordem de  30% e os custos de aluguel de prédios em shopping foram bancados pelos próprios empreendimentos comerciais.
Ao mesmo tempo em que economizou recursos, o Poupatempo ampliou em 31% a quantidade de atendimentos e dobrou o número de unidades, que passaram de 33 para 70. O investimento em tecnologia e inovação, com a instalação de totens de serviço e atendimento virtual, também contribuiu para o redimensionamento das unidades. 
Entre as empresas, a Prodesp (Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo) conseguiu reduzir em R$ 206,5 milhões as despesas, via renegociação de contratos com fornecedores, de planos de saúde e odontológicos para funcionários e adoção de programa de demissão voluntária.
Redução da frota
O Governo do Estado pretende reduzir  em 25% o número de veículos, das atuais 7.357 unidades para 5.509 unidades, com a substituição da frota do Estado por aplicativos de veículos, iniciada no início de dezembro, com a contratação por licitação da empresa Cabify.
A medida vai retirar de circulação 1.866 veículos da frota e permitir uma economia de R$ 35,1 milhões, em redução de gastos com combustível e manutenção, além da arrecadação de cerca de R$ 11,3 milhões com o leilão de 1.479 veículos.

Compartilhar Google+


Comentário(s)

Publicidade


Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes

TRIBUNAL DO CRIME


SAP adquire mais de duas mil novas armas para agentes


Incêndio consome 300 ha da reserva florestal do Córrego do Veado


ANS está ‘contaminada pelos interesses do mercado’, afirma IDEC


Relatório denuncia contaminação de comunidades rurais por agrotóxicos


1