Funcionários da P2 apreendem cartões de memória no recheio de bifes
Funcionários da P2 apreendem cartões de memória no recheio de bifes


Funcionários da Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira, a P2 de Presidente Venceslau, apreenderam 39 cartões de memória que continham músicas e filmes variados e estavam no recheio de bifes que eram levados por uma visitante para um detento que cumpre pena na unidade.
Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) informou nesta terça-feira (9), os bifes ainda estavam recheados com dois saquinhos plásticos que continham tinta azul, três adaptadores de cartão de memória desmontados e seis carcaças de adaptadores de cartão de memória.
A Polícia Militar foi acionada e conduziu a mulher à Delegacia da Polícia Civil, onde foi lavrado o Boletim de Ocorrência. Já o preso que receberia a visita responderá a Procedimento Disciplinar para a apuração do caso.
Ainda segundo a SAP, outras penitenciárias localizadas na região de Presidente Prudente registraram apreensões de drogas e celulares que visitantes pretendiam levar para detentos.
Em Lucélia, durante os procedimentos de revista por meio do aparelho de scanner corporal, a visitante de um preso foi flagrada com um invólucro com um microcelular escondido em sua genitália. A mulher foi encaminhada à Delegacia da Polícia Civil e o preso, ao Pavilhão Disciplinar para a apuração do caso.
Ainda na mesma unidade, outra mulher também foi surpreendida de maneira idêntica com duas placas de microcelular, um chip para telefone e fios de estanho. 
Na Penitenciária de Pacaembu, tops femininos foram usados para tentar burlar a segurança da unidade por três visitantes que acabaram flagradas pelas imagens do scanner corporal. Estavam escondidos nos tops quatro celulares, dois chips, dois carregadores e uma moeda de R$ 0,05. Além delas, outras quatro mulheres também foram flagradas da mesma maneira, mas levando na genitália dois celulares, um chip, duas baterias, uma porção de maconha e um fone de ouvido.
Na Penitenciária de Pracinha, servidores notaram pelo aparelho de scanner corporal um objeto cilíndrico na região da cintura de uma visitante. Em um primeiro momento, a mulher negou que trouxesse algo ilícito, mas depois acabou confessando que portava na genitália um invólucro com cocaína.
Na Penitenciária de Junqueirópolis, duas visitantes foram impedidas de entrar ao passar pelo aparelho de scanner corporal na portaria da unidade. Os funcionários observaram as imagens de objetos na genitália de uma e na perna de outra. A primeira trazia uma porção de maconha. A segunda estava com dois invólucros na barra da calça que continham quatro chips de celular.

Compartilhar Google+

Comentário(s)

Publicidade

Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1