Novas regras para o Novo Fies já estão valendo, informa MEC
Novas regras para o Novo Fies já estão valendo, informa MEC

 

Quem pretende ingressar no Ensino Superior em 2018 poderá contar com as facilidades oferecidas pelo Novo Fies. As novas regras lançadas pelo Governo do Brasil começam a valer neste ano e vão beneficiar os estudantes que mais precisam. Além disso, elas dão mais transparência ao processo de financiamento do programa, explica o MEC (Ministério da Educação).
Ao todo, segundo o MEC, serão ofertadas 310 mil vagas. Confira as mudanças com a reestruturação do Fies.  
Juros Zero
Iniciar um curso superior e só começar a pagar mensalidade depois da formatura sem nada de juros. Parece um sonho, né? Mas essa é a principal novidade do Fies. A partir deste semestre, haverá a oferta de novas vagas com financiamento a juros zero para estudantes com renda familiar mensal de até três salários mínimos. Serão 100 mil vagas para essa categoria. Antes das mudanças, a taxa de juros era de 6,5% ao ano.  
Mais opções de 
financiamento  
O Fies agora tem modalidades específicas para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Quem mora nesses locais terá o curso financiado com recursos dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento para os estudantes que tiverem uma renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. Para quem mora em outras regiões do País, o financiamento será realizado com recursos do BNDES
Facilidade para colocar o pagamento em dia  
Está com parcelas do financiamento vencidas? Não se preocupe. O Programa Especial de Regularização do Fies permite que o estudante que está com o contrato atrasado, com parcelas vencidas até 30 de abril de 2017, faça o pagamento quitando 20% do saldo devedor em cinco vezes e o restante em até 175 parcelas. 
Recursos garantidos
Para garantir que você seja beneficiado pelo Fies neste ano e outras pessoas consigam o mesmo no futuro, o programa agora tem o Fundo Garantidor do Fies (FG-Fies). As instituições que participam do programa são obrigadas a aderir a esse fundo. Dessa forma, mesmo com o aporte da União, o fundo será formado principalmente por aportes das instituições. A previsão é criar um caixa de R$ 3 bilhões.
Pagamento sem estresse
Terminou o curso? É hora de pagar as parcelas. Caso esteja empregado, o estudante já começa a quitar o financiamento um mês após a formatura. O prazo máximo será de 14 anos. Ah! E não precisa se preocupar em ir ao banco, pegar fila ou em esquecer o dia de pagar o boleto: o valor do financiamento será descontado diretamente do salário do empregado que tiver contrato formal por meio do eSocial.  

Compartilhar Google+

Comentário(s)

Publicidade

Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1