Setor de franquias cresce 8% em 2017 e prevê alta de 9% no faturamento em 2018
Setor de franquias cresce 8% em 2017 e prevê alta de 9% no faturamento em 2018

 

 

O setor de franquias cresceu 8% em 2017 na comparação com o ano anterior, saltando de R$ 151,2 bilhões para cerca de R$ 163 bilhões, segundo balanço parcial da Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgado ontem em São Paulo. “Os sinais de melhora da economia brasileira, especialmente leve recuperação da renda e consumo, se refletiram no setor de franquias ao longo do ano passado”, avaliou a entidade.
Para o presidente da ABF, Altino Cristofoletti Junior, além do quadro macroeconômico, o ano foi marcado por três movimentos: a progressiva diversificação de canais, modelos e localização; a interiorização do franchising; e o crescimento de franqueados multiunidade.
“A busca por eficiência, novos mercados e por atrair um consumidor receoso se traduziu em muita inovação: novas estratégias de venda, de configuração de ponto comercial, aprimoramentos em produtos e parcerias. Neste movimento, os franqueados com mais de uma unidade tiveram o importante papel de assumir lojas em dificuldade e as cidades do interior, a função de manter viva a expansão”, completa o presidente da ABF.
Já em relação aos empregos gerados no setor, a prévia sinaliza crescimento de 1%, alcançando cerca de 1,2 milhão de trabalhadores diretos. A projeção é de que, em 2018, haja um incremento de 3% no número de empregos em franchising.
Na avaliação do presidente da ABF, “a baixa inflação, a queda da taxa básica de juros da economia (Selic), a melhora dos índices de confiança do consumidor e do empresariado e a retomada do crescimento do varejo e da atividade industrial são alguns dos fatores que contribuíram para o crescimento do franchising e que nos permitem projetar um desempenho mais positivo do setor em 2018”. A projeção da entidade para este ano é ampliar o faturamento entre 9% e 10%.
É o que espera o gerente-geral da Tutores, microfranquia especializada em reforço escolar, André Luiz da Silva. “Para 2018, a expectativa é chegar em todas as capitais e terminar o ano com mais de 150 franquias e faturamento na casa do R$ 50 milhões”, diz Silva.
Expectativa compartilhada pela diretora da Ginástica do Cérebro, Nadia Benitez. A executiva da empresa de treinamento cognitivo e desenvolvimento cerebral, afirma que apesar das instabilidades da economia, a rede cresceu 50% em 2017 em relação ao ano anterior e espera manter o crescimento este ano. “A expectativa de crescimento da rede para 2018 é de no mínimo dez novas unidades”.
Alimentação
Um estudo inédito com o perfil das 50 maiores marcas de franquias no Brasil mostrou que, em termos de segmento de atuação, a predominância em 2017 foi do setor de Alimentação (34%), seguido por Serviços Educacionais (18%).
De acordo com a entidade, o destaque foi o crescimento da participação do segmento de Saúde, Beleza e Bem-Estar (de 12% para 16%). “Este segmento vem apresentando desempenhos consistentes nos últimos trimestres e se mostrou aqui presente também, tanto com a manutenção da líder do setor, quanto pelo ingresso de duas novas redes deste segmento no grupo das maiores”, explica o presidente da ABF.

Compartilhar Google+


Comentário(s)

Publicidade


Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes

Perda de prazo leva TJ a bloquear contas da Prefeitura de Presidente Venceslau


Comércio varejista da região cria 25 postos de trabalho em abril


Mullher tenta entrar em presídio com anotações na calça


Moradores se queixam de vazamento de caixa d’água


Casos de sarampo e pólio aumentaram em todo o mundo, diz relatório da OMS


1