Governo não paga rescisão contratual de professores demitidos, afirma Giannazi
Governo não paga rescisão contratual de professores demitidos, afirma Giannazi

O deputado Carlos Giannazi (PSOL) denunciou na tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo o que considera “mais uma violência cometida pelo governador Geraldo Alckmin contra os docentes da rede estadual”. De acordo com a denúncia, 20 mil professores categoria “O” demitidos no início deste ano não estão recebendo os valores de suas rescisões contratuais, em especial a indenização de férias não fruídas. “É um calote dentro de outro calote”, acusou o parlamentar, ao citar a “farsa” que foi a aprovação do PLC 33/17 no final do ano passado, já que a medida prometia evitar as demissões. 
Giannazi ressaltou que a dispensa dos professores não foi provocada pela redução de demanda, mas sim por uma política de fechamento de milhares de salas de aula à custa da superlotação das restantes. Enquanto educadores defendem o número máximo de 25 alunos por sala “há inclusive o PL 517/2007 de Giannazi tramitando na Assembleia nesse sentido”, a Secretaria da Educação busca montar classes com 40 alunos ou mais, mesmo que para isso tenha de transferir estudantes para escolas distantes de suas casas. 
Por fim, culpou o governo pelo desrespeito à votação do PLC 33. A Alesp aprovou uma emenda do deputado dando o direito ao uso do Iamspe para os professores contratados, mas que foi vetada pelo governador. “É um governo sem palavra. Vamos derrubar o veto de Alckmin”, conclamou.

Compartilhar Google+


Comentário(s)

Publicidade


Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes

Sincomércio recebe pauta para convenção coletiva da categoria


Comissão inclui alfabetização plena e leitura como objetivos da educação básica


Cármen Lúcia suspende novas regras de cobrança dos planos de saúde


Candidatos com mandato terão prioridade na distribuição do fundo eleitoral, dizem partidos


Ministério do Trabalho é invadido e tem salas reviradas


1