MúSICA: 20 anos após o último show da Legião Urbana, relembre 20 músicas da banda
MúSICA: 20 anos após o último show da Legião Urbana, relembre 20 músicas da banda

O último show da banda que foi uma das maiores expoentes do rock brasileiro acontecia há exatos 20 anos. A Legião Urbana se consolidou no cenário nacional como a voz do “rock Brasília” dos anos 80 e compõe a trilha sonora das rodas de violão até os dias de hoje.

Mesmo após seu trágico ponto final, com a morte do líder Renato Russo, o grupo continua habitando o imaginário popular e não há quem não conheça as letras inconfundíveis que ainda se mantém atuais por falar sobre os assuntos mais variados e delicados.

Em homenagem à eterna Legião Urbana que se apresentou pela última vez há 20 anos, a Rádio UOL selecionou 20 músicas inesquecíveis da banda.

1- “Será”
Primeira faixa do primeiro disco, “Será” se tornou sucesso imediato e ainda é uma das mais tocadas da Legião. A batida simples e os poucos acordes já davam o tom de como seria a sonoridade do grupo.

2- “Soldados”
Ainda no álbum de estreia, “Soldados” já deixava evidente algumas das características principais da banda: letras fortes, temas diversos e críticas à sociedade.

3- “Geração Coca-Cola”
Mais uma de suas canções de protesto, “Geração Coca-Cola” ainda é hino de jovens inconformados com a realidade que se identificam até hoje com as críticas ácidas de Renato Russo.

legiao

4- “Por Enquanto”
Também eternizada na voz de Cássia Eller, essa música mostra como poucas a capacidade reflexiva e poética por trás das composições da Legião Urbana.

5- “Música Urbana” 
Já no segundo disco, é possível notar uma evolução. Com um ritmo mais suingado e uma levada que lembra um ska acelerado, “Música Urbana” exibe mais uma das facetas da banda, tratando da pobreza nas cidades.

6- “Índios”
A variedade de temas abordados nas letras de Renato se estende ainda mais com “Índios” que mantém a base rítmica e sequência de acordes simples, mas é complementada por licks progressivos, tocados por Dado Villa-Lobos, que acompanham os versos.

7- “Que País É Este”
Uma das mais cruas e diretas da Legião Urbana, “Que País É Este” é a faixa-título do terceiro álbum e até os dias de hoje retrata um Brasil que ainda se mantém atual. Uma curiosidade é que sua base é praticamente igual à de “I Don’t Care”, dos Ramones.

renato russo1

8- “Faroeste Caboclo”
Em contraponto à simplicidade da maioria das músicas, “Faroeste Caboclo” é a famosa canção de 9 minutos que conta a saga de João de Santo Cristo. Os fãs de Legião se dividem entre os que decoraram a letra inteira e os que engasgam no meio dela. As inspirações para o enredo têm várias origens, desde músicas de Bob Dylan e Gilberto Gil até fatos que ocorreram com o próprio Renato Russo.

9- “Química”
Mais uma das obras da banda que demonstram sua perene identificação com a juventude. Geração após geração, estudantes que se deparam com a letra de “Química” compreendem a crítica ao sistema educacional contida nela.

10- “Pais e Filhos”
O disco “As Quatro Estações”, de 1989, trouxe uma das canções que mais se cristalizaram no inconsciente coletivo. O trabalho, que fala bastante de conflitos internos e familiares, tem seu ponto alto em “Pais e Filhos”.

11- “Meninos e Meninas”
Renato Russo não tinha problemas em compor sobre temas polêmicos ou espinhosos, e o fazia com grande capacidade poética. Basta ouvir “Meninos e Meninas” e perceber que a letra fala sobre bissexualidade em uma época na qual o assunto representava um tabu ainda maior que hoje.

12- “Metal Contra As Nuvens”
Muitos pensam que a faixa mais longa da Legião Urbana é “Faroeste Caboclo”, mas esse posto na verdade cabe à “Metal Contra As Nuvens”, do álbum “V”. A canção épica traça um paralelo entre o Brasil do início da década de 90 e a Europa feudal da Idade Média.

LEGIAO_URBANA1

13- “Vento no Litoral”
Com a descoberta da doença de Renato Russo, os trabalhos da Legião foram ganhando uma densidade maior e as músicas se tornaram mais melancólicas. Isso é facilmente observado em “Vento no Litoral”, que fala sobre suicídio com uma levada calma e sombria.

14- “L’age D’or”
Apesar desse panorama, ainda haviam contrapontos no quinto álbum, como “L’âge D’or”, mais pesada e com riffs que abusavam de distorção para os parâmetros da banda, aproximando-a de suas raízes e influências.

15- “Perfeição”
Em “O Descobrimento do Brasil”, pode-se notar um otimismo maior, mas também uma acidez elevada. “Perfeição” é praticamente um rap rock que destila críticas duríssimas e diretas à sociedade, ao país e à classe política.

16- “Giz”
Considerada por Renato Russo sua composição predileta, “Giz” é nostálgica e relembra a infância, com uma leveza quase ingênua, destoando das letras características da banda.

17- “A Canção do Senhor da Guerra”
Lançada apenas no álbum ao vivo “Música Para Acampamentos”, essa música faz referências à política internacional, que era marcada pela Guerra do Golfo, e critica duramente a cultura militarista que se formava.

19- “A Via Láctea”
À medida em que a saúde de Renato ficava mais debilitada, as letras transpareciam essa fragilidade. “A Via Láctea”, do álbum “A Tempestade”, representa o ápice dessa melancolia final da Legião Urbana.

19- “Marcianos Invadem a Terra”
No disco derradeiro, a banda resgatou material de outras fases e “Marcianos Invadem a Terra” é uma pérola da era “Trovador Solitário”, em que Renato se apresentava apenas com voz e violão, no início da década de 80. A faixa é extremamente reflexiva e profunda, dando margem a várias interpretações diferentes.

20- “Antes das Seis”
Talvez o último grande sucesso da banda, “Antes das Seis” embalou o álbum “Uma Outra Estação” com versos leves sobre o amor, evidenciando como a Legião Urbana conseguia tratar dos assuntos mais triviais como se fossem únicos.

Compartilhar Google+

1 Comentário(s)

URBANA LEGIO OMNIA VINCIT...

Deixe seu Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados são obrigatórios*
Publicidade

Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1