Setor sucroalcoleiro da região de Prudente perde mil vagas de emprego em 2017
Setor sucroalcoleiro da região de Prudente perde mil vagas de emprego em 2017

Somente em 2017, aproximadamente 1 mil vagas de emprego foram fechadas na área sucroalcooleira na região de Presidente Prudente. 
O levantamento foi divulgado pelo gerente regional do Fiesp/Ciesp (Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Wadir Olivetti. 
Segundo ele, o número representa uma redução de quase 9% na quantidade de carteiras de trabalho assinadas. A causa principal do fechamento é a finalização dos trabalhos de mais duas empresas do setor no entorno.
Nos últimos oito anos, oito usinas fecharam as portas na região de Prudente, sendo seis até o final de 2014 e mais duas nos anos seguintes. 
Na verdade, os fechamentos dizem respeito à Usalpa - Alta Paulista Indústria e Comércio Ltda, de Junqueirópolis, e Cia. Flórida - Flórida Paulista Açúcar e Etanol, de Flórida Paulista, que já veio de um antigo fechamento - antiga Floralcoool -, teve recuperação, mas novamente não suportou.
Foram cerca de 800 demissões: 250 da Cia Flórida e 550 da Usalpa. Os dados mostram uma crise no setor desde 2010.
E com isso, muitos foram para fora da região, migraram de setor ou permaneceram estagnados. 
No cenário atual, 13 usinas operam na região, mas duas não efetuam a moagem da cana, sendo elas a Usina Santa Mercedes Açúcar e Álcool Ltda., em Santa Mercedes, e a Odebrecht Agroindustrial - Unidade Alcídia, de Teodoro Sampaio. Está última, por sua vez, não fez mais safra desde 2015, mas já busca parceiros para que em 2019 isso aconteça.
O que abre espaço para outra discussão, que é o caso da produção de cana-de-açúcar. O gerente do Fiesp/Ciesp destaca que a região ainda é menor, em comparação com outras áreas. “Prudente produz em média 180/190 toneladas por dia, enquanto Ribeirão Preto (SP) tem a média de 300 toneladas, por exemplo. A gente justifica isso pelo solo arenoso existente aqui”, afirma. E se por um lado não há produção, não tem lucratividade, o que fomenta para o fechamento, conforme ainda considerado por Wadir.
“As usinas que sobraram na região parece que estão sólidas. Com isso, a gente espera que, ao longo dos tempos, a produtividade melhore”, afirmou. 

Compartilhar Google+


Comentário(s)

Publicidade


Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes

Carta interceptada na P2 de Pres. Venceslau revela contrato para matar detentos


Presidente Prudente firma parceria com entidade para 55ª Exposição de Animais


Instituição de ensino superior da região aprova mais de 80% em Exame da OAB


Suplementos alimentares ganham regulamentação inédita da Anvisa


Pacientes do Sistema Único de Saúde vão receber notificações de consulta pelo celular


1