Asa branca relembra passado: “Gastei tudo na noite com bebidas, drogas e festas”
Asa branca relembra passado: “Gastei tudo na noite com bebidas, drogas e festas”

Na década de 90, Asa Branca fez fama e dinheiro com a sua voz, que era a marca de um rodeio de sucesso. O locutor, que na época faturava 300 mil reais por mês e fez participações em novelas como Mulheres de Areia e O Rei do Gado, teve uma vida digna de um astro com muitas mulheres, bebidas, drogas e festas.
Após contrair o vírus HIV, em 1999, e de perder tudo o que tinha conquistado, Asa Branca mudou o seu jeito de agir. Atualmente, prestes a fazer 56 anos, ele tem uma rotina mais calma e modesta. “Me arrependo de bedidas e drogas. Gastei tudo que eu tinha na noite com bebida, drogas, jatos, helicóptero e festas. Quando contraí o vírus do HIV parei com as festas e a vida desregrada. Hoje levo uma vida totalmente diferente”, conta ele, que recentemente lutou contra um câncer na madíbula.
Casado Sandra Santos e com seis filhos de relações anteriores, Asa Branca continua trabalhando com locuções em rodeio e agora também se dedica à carreira de cantor, fazendo dupla com Rancharia. Ele ainda prepara um documentário sobre a sua carreira para a revista Veja e um longa-metragem. Mas seu grande sonho é construir um abrigo para crianças, que assim como ele, são soropositivas.
“Quero viver pra poder construir um abrigo para crianças portadoras do HIV e dar a ele o nome da finada mãe. Tenho fé em Deus que vou conseguir”, almeja ele. “O HIV não é bicho de sete cabeças. É só tomar os remédios. Dá para viver bem. Tenho amigos que vivem com a doença há 25 anos.”

Compartilhar Google+


Comentário(s)

Publicidade


Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes

Receita do dia: Pudim de Caramelo


Vendas de Dia dos Pais têm melhor desempenho em 6 anos, diz Serasa


Acidente na SP-425 mata pai e filha; mãe segue internada em PP


Procura por cursos técnicos sobe até 35% na região de PP


Professor de PV ministra palestra sobre Educação no IF de Epitácio


1