Oito países da América registram casos de sarampo em 2018, diz OMS


Primeira do mundo a ser declarada livre do sarampo, a América agora tem oito países com notificação da doença. Em 2017, eram quatro.
Foram 185 casos só nos três primeiros meses de 2018, diz a Organização Mundial de Saúde. No mesmo período de 2017, a OMS registrava 22 casos (mais muitos casos na Venezuela ainda não tinham sido confirmados).
Nesse ano, a Venezuela puxa maior a parte das notificações, com 159 delas. Em seguida, estão os Estados Unidos, com 11 casos. Depois, vem o Brasil, com oito casos importados da Venezuela.
Os outros 5 países com casos são: Antígua e Barbuda (1 caso), Canadá (3), Guatemala (1), México (1) e Peru (1).
Em 2017, a região apresentou 272 casos confirmados no total: Argentina (3), Canadá (45), Estados Unidos (120) e Venezuela (104).
Segundo a Organização Mundial de Saúde, os casos em Antígua e Barbuda e na Guatemala foram importados, respectivamente, do Reino Unido e da Alemanha. Os casos no Canadá e nos Estados Unidos também são importados ou associados à importação.
A Europa enfrenta um crescimento vertiginoso do vírus, com um aumento de 400% em 2017. Analistas acreditam que imunização falha e a onda antivacina puxam o surto.
Já na Venezuela, a entidade aponta que 82% dos casos confirmados foram registrados no estado de Bolívar, com a maior parte deles no município de Caroni. Em crise econômica, o país enfrenta inúmeros problemas em seu sistema de saúde, como a falta de medicamentos.
Casos no Brasil
Segundo o Ministério da Saúde, todos os oito casos ocorreram em Roraima e em venezuelanos que não tinham tomado a vacina na Venezuela. Há uma campanha de vacinação antisarampo em no estado, que vai até o dia 10 de abril.
O público-alvo é a população não vacinada, na faixa etária de 6 meses a 49 anos de idade, que vive atualmente no estado.
Certificado de eliminação
Em 2016, toda a região da América, inclusive o Brasil, recebeu certificado da Organização Pan-Americana de Saúde de que estava livre da doença.
Foi a primeira região do mundo a receber o certificado, em uma batalha que se estendeu por décadas.
A vacina contra a doença está disponível desde 1963 e é administrada em duas doses: uma aos 12 meses e a outra após três meses.
A OPAS estima que atualmente 20,8 milhões de crianças ainda não tiveram sua primeira dose da vacina contra o sarampo.


Publicidade


Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes

Sincomércio recebe pauta para convenção coletiva da categoria


Comissão inclui alfabetização plena e leitura como objetivos da educação básica


Cármen Lúcia suspende novas regras de cobrança dos planos de saúde


Candidatos com mandato terão prioridade na distribuição do fundo eleitoral, dizem partidos


Ministério do Trabalho é invadido e tem salas reviradas


1