MP denuncia 75 integrantes de facção que atua dentro e fora dos presídios


O Ministério Público do estado de São Paulo (MP-SP) denunciou 75 integrantes de uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios paulistas.
Os acusados foram alvo de uma operação deflagrada por uma ação conjunta da Polícia Civil, do MP e do setor de inteligência da Secretaria da Administração Penitenciária.
A denúncia aponta que, por volta de 2016, houve mudança na chefia da organização criminosa no estado de São Paulo, com a expansão do grupo para outros estados. A estimativa do MP é que hoje haja cerca de 30 mil integrantes no grupo.
De acordo com o promotor responsável pela denúncia, Linccoln Gakiya, a ideia é isolar os chefes da organização que estão presos.
“Eles ficarão isolados em regime disciplinar diferenciado. Aqui no estado de São Paulo nós temos um CRP [Centro de Readaptação Penitenciária] no município de Presidente Bernardes, em que eles ficarão 23 horas isolados em celas individuais, com direito a duas horas de banho de sol. E não terão nenhum contato com o mundo externo, salvo a visita de parentes através de vidro, sem contato pessoal”, disse o promotor.
A denúncia também aponta que a organização criminosa praticava vários crimes, o que foi constatado com a localização de cartas no sistema de esgoto presídio de Presidente Venceslau. Essas cartas foram anexadas à denúncia.
Nesses documentos foram encontradas informações importantes sobre a participação desta facção criminosa em homicídios, rebeliões em presídios e no tráfico de drogas.
“O fato de alguns indivíduos estarem cumprindo pena, tanto aqui em São Paulo como fora do estado, não tem impedido eles de continuar cometendo crimes e participar de organização criminosa”, completou o promotor.
Parte dos integrantes desta organização criminosa, mais de 60 pessoas, foi presa em operação Echelon, no mês de junho. (Com G1)


Publicidade








 

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1