Receita Federal alerta sobre golpes em redes sociais

A tentativa de golpe tem início com uma solicitação de amizade nas redes sociais. Logo, o indivíduo que se passa por estrangeiro começa a se envolver emocionalmente com a vítima, e promete o envio de presentes para um futuro noivado. Antes que ela perceba que está sendo vítima de um golpe, é notificada a pagar uma taxa para liberar as mercadorias que ficaram presas na alfândega. O setor da Receita Federal no Aeroporto de Guarulhos, na capital, informa que, diariamente, recebe, em média, dez ligações de contribuintes querendo confirmar a instrução que receberam para efetuar depósitos em contas de determinadas pessoas físicas, para terem liberados valores ou encomendas supostamente retidos. Trata-se do já conhecido “golpe do amor”.
De acordo com a Seção de Comunicação Institucional da Receita Federal em São Paulo, os golpistas criam perfis falsos de estrangeiros nas redes sociais, geralmente com empregos prestigiados e estáveis. Durante o período em que se relacionam emocionalmente com as vítimas, os golpistas dizem estar apaixonados e manifestam, inclusive, intenções de casamento. Diante da proposta, prometem enviar volumes com presentes diversos, como óculos, bolsas, celulares, anéis de ouro para simbolizar o noivado, bem como quantia em dinheiro ou documentos por remessas, seja postal ou por meio de viajante.
Para que a vítima tenha convicção da veracidade dos envios, os golpistas encaminham sites de empresas falsas de remessas expressas, até mesmo com o falso rastreamento da suposta encomenda. Ainda conforme a Receita Federal, após o suposto envio, as vítimas são informadas de que os bens ficaram retidos na alfândega, e que há a necessidade de realizar depósito em uma conta para que haja sua liberação. Quando feito o pagamento, a quadrilha exige outro valor com a desculpa de um empecilho ocorrido.
Diante das diversas denúncias sobre o golpe que tem chegado à Receita Federal, o órgão orienta que as pessoas fiquem atentas a estes casos. “A Receita não exige qualquer pagamento em espécie ou por meio de depósito em conta-corrente. Todos os tributos aduaneiros administrados pelo órgão somente são recolhidos por meio de Darf [Documento de Arrecadação de Receitas Federais]”, informa.
Em situações como a mencionada na reportagem, o órgão orienta para que seja registrado um boletim de ocorrência em uma delegacia policial especializada, para que a ação fraudulenta seja impedida de ocorrer. 
(Com O Imparcial)


Publicidade


Busca

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes

Receita do dia: Torta cachorro-quente


Policiais de SP recebem até R$ 50 mil de integrantes do PCC, aponta investigação


Região tem 39 candidatos para Alesp e Câmara Federal


Panfleto ‘apócrifo’ alerta fechamento da UTI da Santa Casa


Governo Temer assina MP que cria linha de crédito para santas casas


1