Polícia esclarece crime de estupro e prende autores em Panorama

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Polícia de Panorama, tendo auxílio de outras unidades, conseguiu dar cumprimento a dois mandados de prisão temporária em desfavor de dois homens, de 24 anos e 32 anos, acusados de serem os autores do estupro. Ambos são moradores de Panorama.
A primeira prisão realizada pela Polícia Civil aconteceu no último dia 30. Na ocasião, o acusado de 32 anos foi preso, na residência de familiares, no bairro Potiguara, em Panorama. O indivíduo era beneficiário da saída temporária de fim de ano. Ela já possuía vários antecedentes criminais pelos crimes de furtos, roubos e porte de arma de fogo de uso permitido. Cumpria pena em regime semi-aberto, no Centro de Progressão Penitenciária de Pacaembu.  
Já outro acusado de 24 anos, após várias diligências em diferentes locais, permanecia foragido. No entanto, a prisão aconteceu cidade de Anaurilândia/MS, no último domingo, 06. O homem possuía antecedentes criminais pelos crimes de roubo e tráfico de drogas.
O estrupro
 O crime de estupro aconteceu na madrugada do último dia 28, na área central de Panorama, tendo como vítima uma jovem de 23 anos. Na ocasião do fato, a mulher relatou que teria sido abordada e forçada a entrar num veículo, onde estavam os dois indivíduos. Em seguida teria sido levada para uma área rural daquele munícipio onde foi estuprada. Após o estupro os elementos a espancaram e ainda tentaram estrangular a vítima. 
Ela teria ficado caído inconsciente, conseguindo acordar no final da madrugada, onde saiu a procura de auxílio. Ela foi socorrida e levada a PS de Panorama com múltiplas lesões pelo corpo, e posteriormente encaminhada para exames adicionais no IML de Dracena.
Tão logo foi registrada a ocorrência, a Polícia Civil iniciou o trabalho investigativo, com a apreensão de um veículo, suspeito de ter sido o carro utilizado pela dupla de estupradores. Novos elementos probatórios cruciais foram juntados para a identificação dos autores, o que fez com que a Polícia Civil representasse pelo pedido de prisão temporária de 30 dias à Justiça, o que foi prontamente concedido.
 Com as prisões dos acusados, a Polícia Civil aguarda a chegada de laudos complementares, para então representar pela conversão das prisões de temporária para preventiva, onde os acusados poderão permanecer presos até o julgamento.  


Publicidade










 

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes





Sono secular


1